segunda-feira, 1 de maio de 2017

Maioria dos brasileiros se declaram contrários à reforma da Previdência.


Nos últimos dias, em meio às polemicas da reforma da Previdência, que tem como cabeça o presidente Michel Temer, fora feita uma avaliação para saber qual a opinião do povo. Não se pode descartar que hoje existe um grande fervor por parte da polução, uns opostos; outros a favor da reformulação na legislação previdenciária. Fato que vem sendo comprovado através de embates, protestos e críticas. 

A pesquisa, realizada pelo instituto Datafolha, com opinião de  2.781 entrevistados, corrobora o que é repassado pela maioria dos meios de comunicação. Segundo o instituto, cerca de 54% são contra as diferenças de idade mínima e tempo de contribuição no caso dos professores; 55% pensam o mesmo sobre a aposentadoria de policiais e 58% no caso dos militares.
Aos que se declararam a favor da reforma, 87% se dizem contra a pelo menos três pontos específicos. São eles: idade mínima de 65 anos para homens e de 62 para mulheres e o novo método de cálculo de benefício, que determina 40 anos de contribuição para que possa haver o recebimento do teto.

















Além da reforma acima, outras reformas vigoram e são objetivos do governo:  é o caso da reforma trabalhista e a lei da terceirização.



A pesquisa também abordou estes temas. Conforme 64% dos brasileiros a reforma trabalhista privilegia empresários e 
e deixa os empregados em situação vulnerável. Vale lembrar que a reforma foi aprovada pela Câmara do Deputados na última quarta-feira.
Já a lei da terceirização, que permite a contratação de trabalhadores fora da CLT, para qualquer tipo de serviço, foi considerada por 63% o mesmo. Em contrapartida, alguns dos empresários consultados, cerca de 48%, quase metade deles, consideram que o emprego deve ser beneficiado com pela nova lei.