quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Dra. Clêide Coutinho poderá ser a vice-governadora, na nova chapa de Flávio Dino.


Cleide Coutinho está de vez inserida entre aqueles cotados para compor a chapa majoritária ao lado do governador Flávio Dino, na condição de candidata à vice. Nem tanto por iniciativa dela – que já anunciou a pretensão de disputar uma vaga na Assembleia Legislativa -, é mais por força daquilo que pode exigir o atual contexto político-partidário e eleitoral do Maranhão. Aliás, a eleição de Cleide Coutinho para deputada estadual é considerada pule de dez entre políticos e analistas. Uma eleição tranquila, sem sobressaltos.

Ocorre que um nome da estatura do de Cleide tem responsabilidades maiores do que as próprias aspirações pessoais. A exemplo do marido Humberto Coutinho, ela sempre prioriza o grupo. E Cleide sabe que o embate eleitoral que está por vir será decisivo às pretensões do grupo político liderado pelo governador Flávio Dino – do qual ela faz parte como uma das vozes de maior influência.

O futuro do próprio Maranhão, no contexto macro, também estará em jogo, pois numa eventual não reeleição de Flávio Dino, o Estado estará sujeito a um terrível retrocesso no campo socioeconômico – coisa que ninguém com o mínimo de bom senso quer que aconteça.

Daí porque, a escolha do candidato à vice ser prerrogativa exclusiva do governador – que, certamente, levará em conta aspectos objetivos e também subjetivos que se coadunam com aquilo que ele imagina como construção de futuro para o atual projeto posto em prática no Estado.

Mas é óbvio que a capacidade de aglutinar é um elemento que, certamente, será levado em conta na escolha.

E neste quesito, como destaca o jornalista Jotônio Viana, na ‘Caxias em Off’ de ontem, só a possibilidade de Cleide Coutinho ser a candidata à vice, gerou forte repercussão, e que é muito favorável no meio político. Indiscutivelmente – e sem nenhum demérito àqueles que postulam ocupar a vaga -, Cleide é o nome que mais agrega, pois acomoda interesses de várias vertentes que integram o todo do grupo liderado pelo governador Flávio Dino. E é um nome sem rejeição dentro do dinismo, porque ela – juntamente com o marido Humberto Coutinho – ajudou a construir a tragetória de Flávio, até a chegada ao Poder, fato corroborado por todos os demais aliados do governador e por ele próprio.    Até o final da formação, consolidação e composição da chapa para as eleições de 2018, será grande as especulações, as transações  e o fechamento dos acordos políticos, aguardemos o defecho desse projeto político.