Despojado e sem paletó Onda de calor na Coreia do Norte faz Kim dispensar uniforme militar



O líder da Coreia do Norte. Kim Jong-Un, dispensou o paletó e foi fotografado apenas de camiseta e com um chapéu de palha ao visitar uma fábrica de alimentos e um criadouro de peixes, em imagens divulgadas esta semana pela agência estatal KCNA.


O líder norte-coreano Kim Jong-Un visita uma fábrica, acompanhado por militares e por sua mulher, Ri Sol-ju, em foto não datada divulgada pela agência estatal KCNA (Foto: KCNA via Reuters)

Em algumas das fotos, é possível ver a mulher de Kim, Ri Sol-ju, carregando o casaco do marido, que sorri animado durante as inspeções. Ao seu lado, militares enfrentam o calor em seus uniformes completos.
A Coreia do Norte enfrenta há semanas uma forte onda de calor, com temperaturas que chegam a mais de 40 graus e ameaçam o país com uma grave crise alimentar, já que diversas plantações estão secando.
O líder norte-coreano Kim Jong-Un visita uma fábrica, acompanhado por militares e por sua mulher, Ri Sol-ju, em foto não datada divulgada pela agência estatal KCNA (Foto: KCNA via Reuters)
Nesta sexta-feira (10), a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (IFRC) disse que os efeitos do calor sobre plantações de arroz, milho e outras culturas podem ter “efeitos potencialmente catastróficos”.
A maior rede de auxílio para desastres no mundo advertiu sobre o risco de uma “crise de segurança alimentar completa” no país, afirmando que a situação preocupante foi exacerbada pelas sanções internacionais impostas devido aos programas nuclear e de mísseis da Coreia do Norte, segundo a Reuters.
O líder norte-coreano Kim Jong-Un visita um criadouro de peixes, acompanhado por militares, em foto não datada divulgada pela agência estatal KCNA (Foto: KCNA via Reuters)
Em comunicado divulgado em Genebra, a IFRC disse que não chove na Coreia do Norte desde o início de julho e que temperaturas chegaram a uma média de 39 graus. A próxima chuva é prevista para o meio de agosto, acrescentou.
A população de 25 milhões de pessoas já está estressada e vulnerável com taxas de desnutrição infantil que podem piorar, disse.
fonte: G1

Author:

Anterior
Proxima