quarta-feira, 12 de julho de 2017

Moro nega pedido de Lula e avisa que sentença esta prestes a sair




Resultado de imagem para fotos de lula

O juiz federal Sergio Moro negou nesta terça-feira (11) o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para incluir novos depoimentos na ação do tríplex no Guarujá, no litoral paulista. Acusado de receber propina.


Em despacho desta terça, Moro argumentou que a instrução do caso "já se encerrou faz tempo, as alegações finais foram apresentadas e o processo está concluso para sentença". O juiz classificou de "descabido" o pedido de advogados de lula, para incluir novo depoimentos de testemunhas de defesa do petista em outra ação. "Descabe o pretendido nessa faze e os depoimentos feridos sequer são relevantes para o julgamento.", afirmou.


Os executivos Jorge Gerdau Johannpeter, Bruno Boetger, Pérsio Dangot, Glenn Mallett, João Paulo Torres, Patrícia Moraes, Graciema Bertoletti, Antônio Ramualdo, Galliez Pinto da Silva e Fábio Gabai Puga, prestaram depoimento na última semane no processo em ex-presidente é acusado de receber vantagens indevidas da Odebrecht, por mêio da compra de um terreno, que serviria de sede para o instituto Lula e de um apartamento em Dão Bernardo do Campo, vidinho a residencia de Lula.


Os advogados de Lula divulgaram na noite desta terça uma nota para contestar a decisão de Moro. Segundo a defesa, é permitido a análise de provas em qualquer fase da ação penal.


"O fato de o processo estar aguardando sentença não pode servir de fundamento válido para a negativa apresentada pelo Juízo. Tampouco poderia ele recusar os novos depoimentos sob a alegação de que 'sequer são relevantes para o julgamento da causa" diz trecho do texto.




SETENÇA DE MORO:


A sentença de uma das cinco ações penais em que Lula é réu pode sair a qualquer momento. Desde o dia 21 de junho, Moro está com os autos do processo para decidir se o ex-presidente é culpado ou inocente. Nesse processo, Lula é acudo de corrupção de corrupção passiva e lavagem de dinheiro por supostamente ter recebido Rs 3,7 milhões em propina por conta de três contratos entre a OAS e a Petrobrás.


Segundo o MPF (Ministério Público Federal), o pagamento foi feito por meio da reforma de um tríplex no edifício Solaris, no Guarujá, litoral de São Paulo, e do armazenamento, entre 2011 e 2016, de presentes recebidos por Lula, da época que ele era presidente (2003 - 2010).


Moro costuma apresentar suas sentenças dias após a entrega das alegações finais. Em média, na Lava Jato, as sentenças de Moro são dadas 42 dias após as alegações. Nesta terça (11) se completam 22 dias desde que o petista apresentou as alegações finais da sua defesa.