quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

EXCLUSIVO - Mais seis (6) jovens filhas de Tuntum são aprovadas no exame da OAB.

Tuntum está de parabens por seus filhos ilustres, que tem se destacado nos estudos, em busca de novos horizontes e de um futuro brilhante e promissor. 

Tuntum terra de pessoas humildes, decentes, guerreiras e lutadoras, hoje com inúmeros cidadãos tuntunenses formados , e de nível superior, médicos, engenheiros, professores,  até desembargador ex-presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, já vimos e tivemos.

Hoje mais uma vez, Tuntum está feliz, por ver seus ilustres filhos tuntunenses se destacando na vida estudantil e profissional, lutando e alcançando novas conquistas, as quais nos dias de hoje estamos vivenciando, por vermos essas lindas seis jovens moças atingir os seus objetivos, por alcançarem uma cadeira na OAB.

São elas:

Dra. Thais Coelho Léda.

Dra. Anna Caroline Andrade Léda.

Dra. Daniela Oliveira Cruz.

Dra. Adriele de Freitas.


Dra. Casandra Helem Coelho Uruçú.


Dra. Safira Inaiá Morais Araújo.

Pré-candidato ao Senado Valdir Maranhão reitera apoio e lealdade ao seu grupo político.


Sou homem de palavra e de grupo”, afirma Waldir Maranhão



2
Para quem acompanha a política nacional e estadual sabe que o governador Flávio Dino (PCdoB) e o deputado federal Waldir Maranhão (Avante), hoje trilham o mesmo caminho, afinal os dois seguem no mesmo campo político e ideológico.

Diante dessa congruência de pensamentos, o ex-presidente da Câmara Federal surgiu como pré-candidato ao Senado do grupo Flávio Dino.
Na última segunda-feira (19), o deputado Waldir Maranhão votou contra a intervenção federal no Rio de Janeiro, somando-se a Zé Carlos (PT), que também acompanhou a posição.

Do total de 12 deputados federais maranhenses presentes na votação, apenas os dois seguiram a orientação do PT, da esquerda, os direitos humanos e do governador Flávio Dino.
Isso demonstra a coerência de Waldir Maranhão ao mesmo projeto do governador Flávio Dino, os dois estão no mesmo campo político e isso vem sendo percebido desde a votação do impeachment.

O deputado federal nunca votou a favor do presidente Michel Temer (MDB).
Sem ainda haver uma decisão sobre a segunda vaga de quem será o candidato ao Senado de Flávio Dino, Waldir Maranhão permanece na base e apoiando o atual Governo.    Porém o parlamentar vem dialogando em diversas frentes, assim como o próprio governador tem feito.
Waldir Maranhão assim como Flávio Dino vem viabilizando e fortalecendo sua pré-candidatura ao Senado. Nessa conjuntura não existe desistência e muito menos oferecimento a outro nome para disputa estadual, afirma Maranhão, existe um compromisso e o desejo que venha ser consumado o acordo político.
“Sou homem de palavra e de grupo”, afirmou Waldir Maranhão que desde 2014 acompanha e vota com Flávio Dino.
Naquela oportunidade, enquanto presidente do PP, ele foi um dos pilares para vitória do governador.
Assim ele deseja permanecer e disputar a eleição de senador no mesmo campo que ele vem caminhando nos últimos anos.

Waldir Maranhão tem apenas um único plano que é ser senador e o desejo dele é que seja pela chapa do governador Flávio Dino.

FAMEM - Conquista mais uma vitória, e consegue 83 milhões para municípios do Maranhão.

Atendendo pedido da FAMEM, Congresso aprova liberação de R$ 83 milhões para municípios do Maranhão

Deputados e senadores aprovaram, nesta última terça-feira (20), medida provisória que libera para as prefeituras brasileiras R$ 2 bilhões em recursos oriundos do Auxílio Financeiro aos Municípios (AFM).
Deste total, as 217 cidades do Maranhão serão beneficiadas com R$ 83 milhões, segundo levantamento divulgado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM).
Os recursos extras que serão repassados às prefeituras foram garantidos, ainda no ano passado, durante uma articulação nacional em Brasília que contou com o total engajamento do presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM), Cleomar Tema.
Tema, inclusive, encontra-se na capital federal tratando de interesses das cidades do Estado.
A divisão dos recursos do AFM obedecerá aos mesmos critérios utilizados pela União para repartir o dinheiro proveniente do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).
Serão R$ 600 milhões para educação; R$ 1 bilhão para a saúde; e R$ 400 milhões para a assistência social.
“Estes recursos serão fundamentais para oxigenar as prefeituras e fazer com que as mesmas deem continuidade aos serviços essenciais em favor dos maranhenses. Tratou-se de mais um ganho obtido graças a união dos prefeitos e prefeitas maranhenses, com o apoio de nossos deputados federais e senadores”, afirmou o presidente da entidade municipalista

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Deputado Eduarde Braide visita municípios durante carnaval, e surpreende colegas que o incentivan a se candidatar.

Deputados incentivam Eduardo Braide a sair candidato a governador

Um grupo de deputados estaduais da base governista vem incentivando o colega Eduardo Braide a disputar o cargo de governador agora em 2018
Luis Cardoso - A euforia aumentou depois que Braide passou resultados de pesquisas feitas para consumo interno dos dois principais candidatos à sucessão estadual. Ele lidera em São Luís com folga e já aparece bem colocado em outras grandes cidades maranhenses. O blog não tomou conhecimento dos números e mesmo assim não poderia divulgá-los pela ausência de registro junto ao TRE.


Os deputados governistas começaram a sentir que Braide se destaca cada vez mais como a terceira via e que esse posicionamento pode surpreender como o segundo colocado no primeiro turno. Conhecedores da política maranhense, os parlamentares acham que a eleição terá dois turnos.



O deputado passou o carnaval andando pelos municípios e sentiu em todos ótima receptividade, sendo recebido com entusiasmo por prefeitos, a exemplo de Caxias.


Por essa razão, Eduardo Braide iniciou a semana em articulações para a montagem de um arco de alianças que lhe possibilite tempo de TV e candidatos para a chapa majoritária.

Os parlamentares, que vivem agora no gabinete de Braide, citaram o exemplo de Flávio Dino que não tinha mandato e nem o apoio dos políticos quando saiu candidato em 2014 e se elegeu. Dino andou o Maranhão inteiro pregando mudanças e se tornou conhecido.

Flávio Dino diz que agora enterra de vez o grupo político de José Sarney.


Dino comemora retorno de Sarney e enxerga chance de enterrar grupo político comandado pelo ex-presidente

O governador Flávio Dino (PC do B) e alguns de seus aliados políticos mais próximos e fieis comemoraram, ontem, a notícia revelando que o ex-senador e ex-presidente da República, José Sarney (MDB), depois de quase 30 anos, mudou o seu domicilio eleitoral do Amapá para São Luís com o objetivo de participar mais ativamente da campanha da sua filha, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB), ao Palácio dos Leões.
Para o comunista, o retorno de Sarney pode significar o auge da sua recente trajetória política, que teve início em 2006, quando elegeu-se deputado federal graças ao ex-governador José Reinaldo Tavares (sem partido), e ganhou musculatura e projeção nacional em 2014, quando foi eleito governador derrotando Edinho Lobão (MDB), escolhido as pressas para representar o grupo Sarney.
É de conhecimento público que Flávio Dino nutre uma verdadeira obsessão política por José Sarney.
Obsessão, esta, que as vezes se confunde com uma espécie de admiração incubada que o comunista possui pelo seu oponente, a quem classifica de oligarca.
Também é público que Dino sempre sustentou o discurso de que deseja que Roseana o enfrente na disputa de outubro.
Para ele, será a chance de dar ao eleitor a oportunidade de avaliar o que a ex-governadora não fez em 14 anos de mandato e o seu trabalho, desenvolvido em pouco mais de três anos.
No entanto, com a confirmação de que o patriarca da família estará com suas atenções voltadas totalmente para o Maranhão, Flávio Dino enxerga a possibilidade de “matar dois coelhos com uma cajadada só”; solidificar o seu projeto de poder que inclui, caso seja reeleito, fazer o sucessor do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), em 2020; eleger-se senador, em 2022; e fortalecer o seu nome como aquele que derrotou o “último coronel da política brasileira” – título que massificará, e muito, o nome do comunista a nível nacional.
Se obterá êxito…somente o resultado do pleito e o tempo dirão.

Juiz perde o cargo e é condenado a 52 anos de prisão, pena com devolução de mais de meio milhão.


Flávio Roberto de Souza desviou dinheiro apreendido sob sua responsabilidade. Ele ainda perde o cargo público e deverá pagar multa de R$ 599 mil

Conhecido por ser flagrado dirigindo o Porsche apreendido do empresário Eike Batista, o juiz federal Flávio Roberto de Souza foi condenado por peculato e lavagem de dinheiro em dois processos que respondia na Justiça Federal.Em sua decisão, o juiz Gustavo Pontes Mazzocchi, da 2ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro determina que Flávio Roberto cumpra pena de 52 anos de prisão, além de perder o cargo de magistrado e pague uma multa de R$ 599 mil.

Juiz flagrado dirigindo carro de Eike Batista é condenado a 52 anos de prisão
“Consequências gravíssimas, não apenas pelo desaparecimento de autos processuais — que acabaram por ser parcialmente restaurados —, mas pela desmoralização absoluta do Poder Judiciário como um todo e, especialmente, da Justiça Federal e da magistratura, decorrência dos atos criminosos perpetrados por aquele que deveria aplicar a lei. Poucas vezes se teve notícia de agente da magistratura que tenha conseguido achincalhar e ridicularizar de forma tão grave um dos poderes do Estado”, afirmou em sua decisão o juiz Gustavo Mazzocchi.

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

O deputado estadual Eduardo Braide, pré-candidato a governador, pode ser uma das grandes surpresas da política do Maranhão.


O deputado estadual Eduardo Braide PTN, que foi candidato a prefeito da capital maranhense em 2016, ele que ainda bateu a bola na trave, e por pouco não foi eleito prefeito de São Luís.

Braide está pensando em voar mais alto, e nos bastidores, ele já se articula dia e noite em  busca de apoio político, e parcerias para composição da sua chapa para disputa das eleições de 2018.   Ele que está pensando seriamente em sair pré-candidato a governador do Maranhão.   

O deputado Eduardo Braide, ele que ha poucos dias foi flagrado com lideranças políticas de peso, como o ex-deputado federal Paulo Marinho,  e o vice-prefeito de Caxias, e pré-candidato a deputado federal Paulo Marinho Júnior, presente também o deputado federal Valdir Maranhão, que é pré-candidato ao senado federal.  E juntos conversaram imigavelmente e debateram sobre as eleições de 2018.

Não namoramos com quem queremos, namoramos com quem achemos, frisou o parlamentar.

ISTO É - Diz que o senador Álvaro Dias vencerá as eleições para presidente do Brasil no segundo turno.


‘Álvaro Dias vence eleição presidencial no segundo turno’, diz revista Isto É

Com baixa rejeição e distante da Lava Jato, o senador Álvaro Dias desponta como opção ao Palácio do Planalto e acirra a disputa pelos votos do espectro político de centro.


BOM COMEÇO: O senador supera as expectativas e corre por fora na sucessão presidencial.

A oito meses das eleições, o senador Álvaro Dias (PODE-PR) embolou o meio-campo da corrida presidencial. Ao emergir como um dos candidatos a presidente da República com relevante potencial de crescimento, Dias tem seduzido fatia do eleitorado que busca uma alternativa à polarização e ao extremismo de direita e esquerda. As últimas pesquisas já registram a ascensão do senador entre eleitores tradicionalmente identificados com o PSDB, ou seja, um público de renda mais alta, maior escolaridade e concentrado nas regiões mais desenvolvidas do País. Para quem até outro dia era tido como azarão, não é pouco.
Ex-tucano e com 43 anos na vida pública, Álvaro Dias varia entre 3% e 6% das intenções de voto de acordo com os diferentes cenários avaliados pelo Datafolha. Nos estados do Sul, porém, ele alcança expressivos 20%. Murilo Hidalgo, diretor do Instituto Paraná Pesquisas, avalia inclusive que Álvaro tira votos até mesmo do PSDB no Paraná e Santa Catarina, estados que, historicamente, sempre foram redutos tucanos: “Nesses estados, a candidatura de Alckmin não está crescendo como deveria por causa de Álvaro Dias”. Além disso, o senador tem os menores índices de rejeição entre todos os pré-candidatos à Presidência: 13%. É justamente na baixa rejeição que Dias aposta suas fichas para conquistar os eleitores.
O fim do foro privilegiado
Ex-governador do Paraná entre 1987 e 1991, Álvaro Dias foi reeleito para o quarto mandato consecutivo ao Senado em 2014, com expressivos 77% dos votos válidos. Não à toa, é no Paraná que o parlamentar alcança os melhores índices. Ali, tem a preferência de 33,5% dos eleitores, muito à frente do segundo colocado no estado, o deputado federal Jair Bolsonaro, do PSC, que aparece com 19,5%. Os dados constam de uma pesquisa divulgada em dezembro pelo Instituto Paraná. “O Álvaro é o candidato que mais tem votos em seu estado de origem. No Paraná, conta com a preferência de 1/3 do eleitorado. O Alckmin, por exemplo, chega a 23% em São Paulo, e o Ciro Gomes não passa de 16% no Ceará”, completou Hidalgo.
Pesa a favor de Álvaro Dias nunca ter tido seu nome envolvido em escândalos de corrupção. É um dos poucos parlamentares que passaram ao largo da Lava Jato. Além disso, é o autor da PEC 333/2017, que limita o foro privilegiado. Essa é uma das grandes demandas da sociedade, cansada da lentidão dos processos contra políticos no Supremo Tribunal Federal. O texto restringe o foro, em caso de crime comum, apenas ao presidente e vice-presidente da República, e aos do STF, Câmara e Senado. Outras autoridades – como juízes, deputados e senadores – seriam julgados em primeira instância. Para o senador, a prerrogativa de foro é um “privilégio odioso” para o caso de crime comum como peculato, corrupção passiva ou homicídio. “O foro privilegiado é uma excrescência, e estabelece uma contradição, uma incoerência, porque o artigo 5º da Constituição afirma que todos somos iguais perante a lei. O foro impõe a ideia de que algumas pessoas são superiores às demais. Como se houvesse uma casta especial de privilegiados. Isto precisa acabar”, defende o senador.
Ele se recusa a receber aposentadoria como ex-governador do Paraná. Só no ano passado o Estado economizou R$ 706 mil
Dias ainda abriu mão do auxílio-moradia concedido aos parlamentares. Em um ano, a economia chega a R$ 66 mil, e durante todo mandato de oito anos, são R$ 528 mil economizados para os cofres públicos. Como parlamentar, ele também renunciou ao direito de receber a verba indenizatória de R$ 15 mil mensais, o que só em 2017 representou uma economia de R$ 180 mil. Também recusou R$ 30,4 mil por mês, que é a aposentadoria de ex-governador a que ele teria direito há 20 anos. No ano passado, a renúncia passou de R$ 365 mil. Em 2017, o total de recursos economizados por Álvaro Dias foi de R$ 706 mil.
O grande desafio de Álvaro Dias é fortalecer seu nome para além da região Sul, onde já é bastante conhecido e conta com um público cativo. O candidato a vice e as eventuais alianças do Podemos ainda não foram definidas. Isso também será de fundamental importância para o futuro da candidatura, já que se trata de um partido novo e pequeno. O tempo de propaganda no rádio e na televisão será curto, mas Dias é conhecido por ser um dos políticos mais atuantes nas redes sociais e assim deve permanecer até a votação de outubro. Numa eleição tão embolada quanto imprevisível, o senador pode nem chegar ao segundo turno, mas já fez o suficiente para incomodar os partidos tradicionais. Por isso, é bom ficar de olho nele.
Fonte: Isto É