SEJA BEM-VINDO

MASIGNCLEAN101

Trio que espancou caminhoneiro até a morte em Silvanópolis é condenado a 13 anos de prisão

Três homens que mataram um caminhoneiro na cidade de Silvanópolis, em 5 de março de 2019, foram condenados a pena de 13 anos e seis meses de reclusão em sessão do Tribunal do Júri realizada nesta segunda-feira, 28, no Fórum de Porto Nacional.

Os jurados acolheram as teses de acusação do Ministério Público do Tocantins (MPTO) e condenaram os réus por homicídio duplamente qualificado, praticado por motivo fútil e de forma cruel. Conforme narrou o promotor de Justiça Breno Simonassi, que integra o Núcleo do Tribunal do Júri (MPNujuri) do Ministério Público, o caminhoneiro Stênio Henrique Oliveira morreu em consequência de pedradas e de golpes de machado e faca.

Foi relatado que o caminhoneiro se encontrava há alguns dias em Silvanópolis e decidiu participar dos festejos de carnaval que aconteciam na cidade. Na festa, ele adquiriu uma porção de drogas de um dos denunciados, mas se desentendeu quanto ao valor que deveria ser pago pelo produto. Em seguida, deixou o local em seu veículo, mas o vendedor e dois comparsas o seguiram a pé. Quando o encontraram em seu caminhão, os três passaram a agredi-lo violentamente, causando sua morte.

Os condenados são Miguel Pereira de Oliveira Filho, vulgo “Miguelzinho”, que vendeu a droga, Rafael Rodrigues de Souza Pereira e Adriano Paixão de Carvalho.

Três homens que mataram um caminhoneiro na cidade de Silvanópolis, em 5 de março de 2019, foram condenados a pena de 13 anos e seis meses de reclusão em sessão do Tribunal do Júri realizada nesta segunda-feira, 28, no Fórum de Porto Nacional.

Os jurados acolheram as teses de acusação do Ministério Público do Tocantins (MPTO) e condenaram os réus por homicídio duplamente qualificado, praticado por motivo fútil e de forma cruel. Conforme narrou o promotor de Justiça Breno Simonassi, que integra o Núcleo do Tribunal do Júri (MPNujuri) do Ministério Público, o caminhoneiro Stênio Henrique Oliveira morreu em consequência de pedradas e de golpes de machado e faca.

Foi relatado que o caminhoneiro se encontrava há alguns dias em Silvanópolis e decidiu participar dos festejos de carnaval que aconteciam na cidade. Na festa, ele adquiriu uma porção de drogas de um dos denunciados, mas se desentendeu quanto ao valor que deveria ser pago pelo produto. Em seguida, deixou o local em seu veículo, mas o vendedor e dois comparsas o seguiram a pé. Quando o encontraram em seu caminhão, os três passaram a agredi-lo violentamente, causando sua morte.

Os condenados são Miguel Pereira de Oliveira Filho, vulgo “Miguelzinho”, que vendeu a droga, Rafael Rodrigues de Souza Pereira e Adriano Paixão de Carvalho.

Comentários
0 Comentários

Política