SEJA BEM-VINDO

MASIGNCLEAN101

Primeira-dama e ministra Cristiane Britto reforçam compromisso do Governo Federal de cuidar das mães brasileiras

Os programas Mães do Brasil, Brasil para Elas e o Auxílio Brasil foram destaque no pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão da primeira-dama do Brasil, Michelle Bolsonaro; e da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Cristiane Britto, neste domingo (8). No Dia das Mães, elas apontaram os esforços do Governo Federal em promover ações de desenvolvimento das crianças, de cuidado em relação à família e de proteção às mulheres.

“Por conhecer os desafios da maternidade, temos o compromisso de cuidar das mães do nosso país. Nesse sentido, temos implementado ações que beneficiam as mães brasileiras. Hoje, elas já são prioridade no Auxílio Brasil, nos programas habitacionais e em todos os processos de regularização fundiária”, ressaltou Michelle Bolsonaro.

A ministra Cristiane Britto também apontou que o Governo Federal está empenhado em incluir produtivamente milhares de mulheres no país, para que possam ter maior autonomia e não dependam financeiramente de seus possíveis agressores. “São bilhões de reais em microcrédito disponibilizados por meio do programa Brasil Pra Elas”, apontou. “Outra grande iniciativa para as mães está no Programa Renda e Oportunidade (PRO), que permite o reembolso de creche ou a liberação do FGTS para ajudar no pagamento de despesas com a educação infantil”, completou a primeira-dama.

Portal Meio Norte.

09/05/2022 09h07
Por: Pablo CarvalhoFonte: Governo Federal

Conheça o Programa Brasil pra Elas

Conheça o Programa Renda e Oportunidade

Saúde e proteção integral à mulher

Continua depois da publicidade

O Governo Federal também está executando o programa Cuida Mais Brasil, com foco na saúde da mulher e na saúde materno-infantil. A iniciativa pretende reduzir as taxas de mortalidade de mães e crianças. São mais de R$ 170 milhões investidos para oferecer cuidados às mulheres antes, durante e depois da gravidez.

Nessa mesma linha, uma das novas estratégias criadas pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) para alcançar esse público é o Programa Mães do Brasil, com políticas públicas destinadas à proteção integral da dignidade das mulheres, a fim de ampará-las no exercício da maternidade, desde a concepção até o cuidado com os filhos. “Este é um trabalho realizado em parceria com as prefeituras. Se a sua cidade ainda não aderiu, cobre de seu gestor municipal o acesso ao programa”, explicou Cristiane Britto.

Continua depois da publicidade

Para encerrar, a ministra e a primeira-dama endereçaram um abraço afetuoso a todas as mães do país. “As donas de casa, as chefes de família, as mães-avós. As mães com deficiência ou com filhos que tenham alguma deficiência. As mães raras e que cuidam de crianças com doenças raras. As mães indígenas, as quilombolas ou ribeirinhas. Todas as heroínas deste país!”, pontuou Michelle Bolsonaro. “Nosso carinho muito especial a todas as mães guerreiras, porque a maternidade é também sinônimo de luta diária pela dignidade dos filhos”, concluiu a ministra.

Confira a mensagem ao povo brasileiro na íntegra:

Mães do Brasil

Coordenado pelo MMFDH, o Programa Mães do Brasil tem as primeiras ações desenvolvidas: são os projetos Espaço Maternidade, Mães Unidas e Recanto. O Espaço Maternidade visa a incentivar gestores públicos e privados a disponibilizarem espaço adequado às servidoras, funcionárias, transeuntes e mães para amamentação, coleta e correto armazenamento do leite materno, para fins de consumo e doação.

Já o projeto Mães Unidas tem a finalidade de criar uma rede de apoio local e nacional, além de oferecer o apoio relacional às gestantes e mães por meio do acompanhamento de mães voluntárias. Com isso, ocorre a promoção do fortalecimento de vínculos familiares, a saúde e a cidadania dessas mulheres e crianças. Por sua vez, o Projeto Recanto tem o objetivo de fortalecer os vínculos de mães e filhos em contexto de acolhimento social e privação de liberdade, bem como em situação de dependência química.

Comentários
0 Comentários

Política